Make your own free website on Tripod.com

Teoria de Tudo

A Origem da Felicidade
Home
Energia Absoluta
A Origem do Efeito Mpemba
A Origem da Força Gravitacional
A Origem da Expansão Acelerada do Universo
A Origem das Eras Glaciais
A Origem da Regeneração do Fígado
A Origem da Força das Formigas.
Eliminando o Mosquito da Dengue
A Origem dos Venenos
A Origem das Doenças
A Origem do Câncer
A Origem da Arteriosclerose
A Origem do Amor
A Origem de Filhos ou Filhas
A Origem da Dor
A Origem do Pensamento
A Origem do Sono
A Origem dos Isolantes Térmicos
A Origem dos Monumentos Megalíticos
A Origem dos Furacões
A Origem da Felicidade
A Origem dos Extraterrestres
A Origem dos Sonhos
A Origem do Mito das Loiras
A Origem do Universo
A Origem de Um Milagre.
A Origem da Inteligência
A Origem da Mediunidade
A Origem da Lei da Atração.
A Origem da Memória Akáshica
A Origem dos Pelos Pubianos
A Origem dos Desejos Insólitos das Grávidas
A Origem da Velhice
O Segredo do Perfume que Emagrece

Onde e quando podemos encontrar a felicidade?

Um dos temas mais importantes de toda a história da humanidade é a Felicidade. Ninguém ousou dizer ser o dono da verdade sobre esta definição, pois mesmos os grandes gênios sabiam da dificuldade de se definir a natureza do termo. Mas vamos revelar aqui um destes gênios que chegou a resposta conclusiva, e como outro gênio universal demonstra esta verdade.

Jornais, revistas, livros e todos os outros meios de comunicação já tentaram descobrir o que causa a felicidade. Tentaram através de pessoas ricas em bens materiais, mas acabaram descobrindo que muitas delas chegam até ao suicídio. Outros chegam a matar a quem mais deveria amar. Descobriu-se que quem ama também sofre quando o perde. Portanto o amor também não é a causa da felicidade eterna. Mas descobriu-se que no auge do sofrimento as pessoas procuram Deus como forma de suavizar a sua dor, e verificou-se que conseguiram na realidade mais uma resignação em alcançar a felicidade que a própria.

As pessoas procuram Deus, elemento totalmente desconhecido pela ciência e por elas próprias, por que a sua natureza é divina, queiram ou não queiram, como é o caso dos céticos.
Somente desprovidos de todos os bens materiais, conhecendo a mais profunda solidão, é que nos aproximamos do conhecimento do que Deus significa, mas não a conhecê-lo, pois ainda resta a última barreira material, nosso próprio corpo.

Para entender melhor o parágrafo acima vamos voltar ao Mundo das Ideias de Platão, o grande filósofo grego da antiguidade.
Platão definia o universo metafísico da seguinte forma:
No vértice do sistema universal as Ideias, onde está o verdadeiro conhecimento.
Subordinado a estas o Demiurgo, o Deus platônico, superior a matéria, mas com o poder da ordenação da matéria segundo a definição das ideias.
Depois temos as Almas, que por ação do destino acabam dando vida a matéria ordenada, ou podemos dizer criada, pelo Demiurgo.
Estas, aprisionadas pela matéria, aqui nos referimos aos corpos dos seres humanos, acabam por buscar ao Demiurgo para tentar encontrar o caminho de volta para a sua origem, pois o corpo humano não passa de um cárcere onde elas estarão presas até a morte do mesmo, e somente assim conseguem voltar ao seu mundo original.

Ao entender o Mundo das ideias de Platão, verificamos que é onde se encontra a perfeição, ou seja, a verdadeira identidade do universo, a harmonia real de toda a criação.
Apesar de não percebermos, por sermos imperfeitos, este lugar existe. E pela natureza de nossas almas, procuramos por este mundo sem saber, porém, como seres humanos, como encontrá-lo.
Não sabemos como seres humanos por que este segredo está na alma, e nos acostumamos a conhecer apenas os bens materiais.

Compreendendo que o mundo que Platão idealizou existe na realidade, podemos compreender que a felicidade só pode estar neste mundo perfeito e harmônico, que só a alma conhece.
Platão ainda define que só há um meio da alma progredir terrenamente para atingir este mundo perfeito, o mundo do Bem, portanto feliz, através do conhecimento, mediante a filosofia. Mas só a liberdade dará a alma, a verdadeira realização.

Se entendermos que nossos pensamentos fazem parte de nossa alma, assim como pensaram Platão e Descartes, podemos compreender como seres humanos que o mundo perfeito, do Bem, a verdadeira Felicidade só se conseguirá com a Liberdade.
Portanto fica fácil compreender porque ao ganharmos um bom dinheiro ficamos felizes. É por que nos Libertamos das dívidas. Temos Liberdade para comprar o que quisermos. Ma logo a sociedade descobre, e nos cobram altos impostos, sugerem que temos de adquirir tais e tais bens, e acabamos perdendo a Liberdade para uma adequação social que muitas vezes nem queremos, e aí ficamos infelizes.

Mesmo teorias ou frases muito atraentes, de que a felicidade vem quando: "Dentro da racionalidade, conseguimos aos poucos as coisas que nos propomos a alcançar", que demonstram que se alcançarmos nossos objetivos seremos felizes, não estão corretas para quem quer a felicidade plena, mas apenas momentos felizes, ou o que podemos definir como felicidade temporária.

Um historiador grego conseguiu definir perfeitamente a Felicidade. Seu nome Tucídides, nascido em Halimonte, testemunhou a guerra do Peloponeso e escreveu a História da Guerra do Peloponeso, em oito volumes.
Sua definição: O Segredo da Felicidade está na Liberdade.

Portanto desvendamos aqui que a felicidade não pode ser encontrada no mundo material, pois quem quer a felicidade não é o corpo, mas a alma. Seremos felizes então somente nas questões da alma, encontrando um grande amor, que nos corresponda harmonicamente, meio que pode ser interrompido, ou conforme as instruções de Platão, através do conhecimento, este ninguém pode roubar e assim podemos fazer nossas viagens mentais usar as ideias que nos foram dadas pela natureza, e assim seremos felizes para sempre.

Nossa alma vai muito mais além de nosso corpo, em forma de energia. Essa energia nunca deve ser reprimida somente em nosso corpo, pois precisa ser libertada. Somente com a liberdade da alma, libertamos também os nossos sonhos, aí temos a felicidade pura.

Uma forma prática de ser feliz:

Temos que compreender que quem quer a felicidade não é o nosso corpo, mas nossa alma. Por isso temos que entender a natureza da alma, e não do corpo.
A forma mais prática de alimentar a alma de felicidade está na arte, pois toda arte é criação divina. Todo verdadeiro artista ouve um pequeno sussurro em seu ouvido, vindo do mundo das ideias antes de começar a sua obra, da mesma forma como o Demiurgo de Platão fez toda a sua criação.
A nossa aproximação com a arte, seja na música, no cinema, nas pinturas ou esculturas, e até em um local isolado através da literatura, onde estão escritas as ideias sussurradas no ouvido do escritor, faz com que nossa alma se aproxime do criador. Ou ainda apenas pensando, ninguém pode nos proibir de pensar em coisas boas, seja em nosso local de trabalho, seja numa penitenciária. Como o nosso pensamento vem do mundo das ideias, a harmonia universal penetra em nosso corpo, sem que nenhuma barreira possa intervir, fazendo com que nossa alma se sinta cheia de amor e próxima de seu mundo livre e eterno.
A forma mais prática de ser feliz é apenas pensar, pensar apenas em coisas boas. Passe o dia pensando, mesmo que esteja em uma camisa de força, nada pode lhe proibir.

mp900411674.jpg

Happiness Origin.
 
Quanto vale o Teorema de Platão?
William Fiel, autor do livro A Origem Divina de Todas as Coisas, ISBN: 85-7062-389-5.