Make your own free website on Tripod.com

Teoria de Tudo

A Origem dos Monumentos Megalíticos

Home
Energia Absoluta
A Origem do Efeito Mpemba
A Origem da Força Gravitacional
A Origem da Expansão Acelerada do Universo
A Origem das Eras Glaciais
A Origem da Regeneração do Fígado
A Origem da Força das Formigas.
Eliminando o Mosquito da Dengue
A Origem dos Venenos
A Origem das Doenças
A Origem do Câncer
A Origem da Arteriosclerose
A Origem do Amor
A Origem de Filhos ou Filhas
A Origem da Dor
A Origem do Pensamento
A Origem do Sono
A Origem dos Isolantes Térmicos
A Origem dos Monumentos Megalíticos
A Origem dos Furacões
A Origem da Felicidade
A Origem dos Extraterrestres
A Origem dos Sonhos
A Origem do Mito das Loiras
A Origem do Universo
A Origem de Um Milagre.
A Origem da Inteligência
A Origem da Mediunidade
A Origem da Lei da Atração.
A Origem da Memória Akáshica
A Origem dos Pelos Pubianos
A Origem dos Desejos Insólitos das Grávidas
A Origem da Velhice
O Segredo do Perfume que Emagrece

O que originou os monumentos megalíticos?

Para entender o que originou os monumentos megalíticos primeiro temos que compreender como se formam as chuvas.
Agora que você já está virando um expert nos fenômenos da natureza, vamos desvendar mais um muito interessante. A formação das chuvas.

Basta ter o primeiro grau completo para saber que as chuvas se formam a partir da evaporação da água para a atmosfera, que formam as nuvens e dependendo da temperatura de uma região, ela despenca lá de cima. Mas o que isso tem com o nosso Teorema de Platão?

O Teorema de Platão diz claramente que tudo precisa de energia para se movimentar. Assim, a chuva que também se movimenta naturalmente precisa da energia existente no universo para cair lá do céu.

O segredo que você vai descobrir agora é um dos mais importantes para onde existem regiões secas, e que mesmo com a formação de nuvens, elas teimam em não cair em forma de chuva.

No finalzinho da página Energia Absoluta, neste site, apresentamos em detalhes o que Platão sabia sobre a energia no mundo dos sentidos. E o mais importante para a formação das chuvas é que. A energia é fria. Ela vai de onde tem maior quantidade para onde tem menor quantidade, ou seja, sai dos ambientes frios e vai para os ambientes de calor, onde há falta de energia. Exatamente o que acontece com as chuvas. Formam-se em ambientes frios, lá no céu através das nuvens, e caem em ambientes quentes.

Mas o que você não sabia é que a energia precisa de um caminho para sua trajetória. E isso tem tudo haver com as chuvas. E aí entra o Teorema de Platão.

A energia anda em círculos, é o que diz o Teorema, e para a chuva cair mais facilmente ela precisa de círculos para definir sua trajetória.

Os índios em seu inconsciente coletivo já sabem disso, por isso fazem a famosa dança da chuva, andando em círculos para providenciar que ela caia.

Os monumentos megalíticos, como os de Stonehenge, que tanto mistério causa para a humanidade, tinham na realidade a função de fabricar chuvas. Os seres humanos de sua época faziam a mesma dança da chuva dos índios, ao redor daquelas pedras, que úmidas pelos ventos faziam a chuva cair naquela área, o que era motivo de comemorações e até rituais.

Agora que você já sabe que a chuva precisa de um caminho para cair, e tem um pequeno sítio, pode plantar árvores em círculos. O próprio vento se encarregará de fazê-las dançar, e se tiver uma nuvenzinha lá no céu, certamente vai ter chuva em sua horta.

mp900411674.jpg

The Origin of Rain.
 
Quanto vale o Teorema de Platão?
William Fiel, autor do livro A Origem Divina de Todas as Coisas, ISBN: 85-7062-389-5.